Panair do Brasil tem história celebrada em reportagem de “O Globo”

Legado da companhia, como a abertura de importantes linhas de integração nacional e internacional, e o desenvolvimento de infraestrutura aeroportuária e da oficina Celma, foi resgatado no caderno Boa Viagem

Rio de Janeiro, outubro de 2020 – A marca Panair do Brasil completa 90 anos em 2020 (a empresa foi fundada em 22 de outubro de 1929 originalmente como Nyrba do Brasil e, ao ser adquirida pelo grupo Pan American, mudou de nome meses depois). Para lembrar as contribuições da companhia ao País, o jornal “O Globo” publicou uma reportagem no caderno Boa Viagem dessa quinta-feira, 15. O texto do repórter Eduardo Vessoni faz um voo sobre alguns dos principais fatos que consolidaram a Panair como a aérea mais vanguardista e estratégica do continente sul-americano, ao longo de todo o tempo em que operou. Foi, por exemplo, responsável pela criação da principal infraestrutura de proteção ao voo da região e da construção de importantes campos de pouso e aeroportos nacionais. Também desenvolveu a Celma, oficina de revisão de motores mais avançada em todo o Hemisfério Sul, e abriu as primeiras rotas regulares entre o Brasil e a Africa, Europa e Oriente Médio.

“Em termos de patrimônio e qualidade técnica, a Panair era inigualável”, contou o entrevistado Daniel Leb Sasaki, autor do livro “Pouso forçado: a história por trás da destruição da Panair do Brasil pelo regime militar”. Rodolfo da Rocha Miranda, atual presidente da companhia, lembrou que a empresa deixou de existir por um ato arbirário da ditadura militar, em 1965. “A Panair fechou por perseguição política a seus sócios majoritários”, explicou.

Leia aqui a reportagem completa:

No dia 16, o jornal publicou também uma versão online:

Nas asas da Panair: conheça a história da empresa criada há 90 anos
https://oglobo.globo.com/boa-viagem/nas-asas-da-panair-conheca-historia-da-empresa-criada-ha-90-anos-1-24696199